Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias Contadas

Monsaraz

Monsaraz01 by HContadas.jpg

Monsaraz02 by HContadas.jpg

Monsaraz03 by HContadas.jpg

Monsaraz04 by HContadas.jpg

Monsaraz05 by HContadas.jpg

Monsaraz06 by HContadas.jpg

Monsaraz07 by HContadas.jpg

Monsaraz08 by HContadas.jpg

Monsaraz09 by HContadas.jpg

Monsaraz10 by HContadas.jpg

Monsaraz11 by HContadas.jpg

Monsaraz12 by HContadas.jpg

Monsaraz13 by HContadas.jpg

Monsaraz14 by HContadas.jpg

 

Já devem ter reparado que adoro passear, certo?!

E se há alturas em que só saio por motivos profissionais (naquelas que carinhosamente apelidei de "viagens na minha terra"), este ano está a ser um "desassossego" bom de passeios em lazer!

 

No fim-de-semana rumámos a Sul, até ao Alentejo. Andámos por Évora e, como os miúdos deliram com a ideia de ir a Espanha, resolvemos passar a fronteira junto ao Alqueva e acabámos por parar em Monsaraz para almoçar.

 

Monsaraz é daquelas terras deliciosas que vale a pena conhecer. Desenvolve-se no topo do monte, dentro das muralhas de um antigo castelo, numa mistura charmosa entre o branco da cal e o negro do xisto. 

 

A Vila é relativamente pequena, pelo que dá perfeitamente para percorrer a pé (aliás, os carros não podem entrar dentro da muralha). Usem a muralha como referência e sigam, sem pressas, pelas ruas estreitas e inclinadas. Para quem gosta de monumentos, a Igreja Matriz e a muralha do Castelo são pontos de passagem obrigatória. Mas, para quem como eu se perde nos pormenores, tudo serve de pretexto para parar: as portas minúsculas, as rendas nas janelas, o musgo amarelo que, nesta altura do ano, cobre os monumentos e a vida da Vila, que mais parece uma aldeia onde todos se conhecem. 

 

Depois há as lojas... A não perder, recomendo a Loja da Ervideira. Não pelo vinho em si (que desconheço), mas porque está instalada numa antiga escola onde podemos encontrar objetos tão giros como: o quadro de ardósia; o estrado onde outrora estava a secretária da professora; azulejos espalhados pelas paredes com o abecedário e contas de somar; um painel de azuleijos com a história da Vila; e uma lareira onde professora e alunos de aqueciam no Inverno. Para quem gosta de artesanato, há várias lojas onde se podem adquirir produtos regionais como as típicas cadeiras de madeira e as quase extintas mantas alentejanas.

 

Para almoçar, recomendo a esplanada do Xarez, onde podem degustar várias iguarias alentejanas ao mesmo tempo que se deliciam com a paisagem. A vista é soberba sobre as planícies alentejanas e a albufeira do Alqueva!

 

Ideias giras para descobrir Portugal

PortodeST by HContadas

Depois de Lisboa, é altura de partilhar alguns dos meus truques para saber o que de melhor se passa em Portugal. Sejam publicações nacionais ou regionais, há várias que vou acompanhando e que me acompanham para quase todo o lado...

 

Espero que gostem. E, se conhecerem outras, partilhem também!

 

A Cidade na ponta dos dedos (sempre!)

Há pessoas que adoro ler. E a Sancha Trindade é uma delas. A sua plataforma está cada vez mais bonita e agora, para além de nos contar em primeira mão o que melhor Lisboa tem para oferecer, também nos presenteia com sugestões no Porto, em Portugal e pelo Mundo. Outra novidade boa é que a plataforma Atlântica está em formato de televisão no Económico TV e Canal 180.

 

Portugal Daily Secret 

Se gostam de surpresas esta é a publicação indicada para vocês. O processo é simples: inscrevem-se online e automaticamente entram neste delicioso jogo aleatório. E, todas as semanas, recebem um email secreto que vos dá a conhecer pedaços do nosso querido Portugal.

 

Time Out Porto

(para mim!) Não tem aquele estilo de escrita, informal e divertida, que a Time Out Lisboa nos habituou. Ainda assim, é uma excelente publicação para quem quer estar a par dos melhores spots do Porto. 

 

Braga Cool 

Foi-me apresentada por um de vós, aí desse lado, e daquilo que já fui vendo é um óptimo guia da cidade de Braga. Para além de falar de restaurantes, hotéis e sítios a visitar, inclui a rúbrica Trabalhar, numa perspectiva mais completa de viver a cidade. 

 

Roteiro 30 Dias

Last but not least, a publicação bimestral da (minha) Câmara Municipal de Oeiras. O formato faz lembrar a TimeOut e, apesar do seu estilo mais institucional (inclui sempre uma introdução do Presidente da Câmara), é uma publicação muito completa e diversificada, com sugestões para toda a família nas mais diversas áreas da cultura e lazer.

Por uma questão de gosto pessoal, destaco a rúbrica {b}log in!, que durante muito tempo esteve a cargo da Marta e, desde que ela se mudou para a Rua das lojas, vai passando de mão em mão entre os excelentes bloggers do Município de Oeiras.

 

Boa terça-feira e boas descobertas!

Imagem: via A cidade na ponta dos dedos

Tendência - Portugalidade online

Está na moda gostar do que é nacional. Este movimento, em tudo impulsionado pelo trabalho de Catarina Portas no projecto “A Vida Portuguesa” desde há 7 ou 8 anos, ganhou uma nova dimensão nos últimos anos devido à crise que despertou a nossa consciência colectiva para a portugalidade, ou seja, o reconhecimento de que Portugal faz bem e que consumir português é bom para a saúde do país (e para o bem-estar de todos nós, entenda-se!).

Também na web este fenómeno ganha eco, não só em Portugal como além-fronteiras. De tal forma que hoje são já muitas as lojas online que vendem exclusivamente produtos portugueses. Os modelos são vários: lojas online, lojas online que evoluíram de lojas físicas e flash stores. Mas todas têm o mesmo denominador comum: vender exclusivamente produtos portugueses.

Cá dentro ou lá fora, vejam a selecção de projectos online que escolhi e digam lá se não vale mesmo a pena comprar o que é nosso! 

PortugalidadeOnline by HContadas

A vida portuguesa

Catarina Portas é, sem dúvida nenhuma, a primeira grande embaixatriz das marcas portuguesas em Portugal. A (sua) Vida Portuguesa é um ícone da qualidade da produção portuguesa manufacturada, que encanta portugueses e estrangeiros.

Portugal Design Market

A Portugal Design Market aposta nas novas marcas e designers nacionais. Para quem gosta de estar a par das últimas novidades em design e conhecer a nova geração de designers nacionais, é uma plataforma a não perder.

Lusa Mater

Adoro esta plataforma! É notável o trabalho de pesquisa que a Cristina e a Marta fazem, já para não falar que este modelo de flash sales permite comprar os produtos portugueses a preço de saldo.

Design 351

Tem o mérito de ter sido a primeira plataforma exclusivamente online a surgir no mercado.

BurraBurra | Portugal at home | Paz d'Alma | Vozinha

Quatro lojas que levam os produtos e o design português além-fronteiras. As 2 primeiras estão sediadas na Holanda, a terceira na Alemanha e a última em Nova Iorque.

 

Boa segunda-feira!

A-cor-dar #1 :: Lisboa

Tem tanto de bairrista e popular como de cosmopolita e sedutora. Por isso, não é de estranhar que seja nesta cidade que muitos artistas e designers encontram inspiração para as suas criações.

Para seleccionar os projectos que vou partilhar neste primeiro a-cor-dar inspirei-me nesta fusão de constrastes entre a autenticidade do tradicional e a inovação do contemporâneo, sempre presentes na minha Lisboa. Espero que gostem!

A-cor-dar#1 by HContadas

#1 - Mercado de Campo de Ourique

Pensar em fazer um programa em Lisboa nos dias que correm é pensar no Mercado de Campo de Ourique. Aqui, as habituais bancas de legumes, fruta, peixe ou flores misturam-se com quiosques e tasquinhas de petiscos num ambiente, informal e boémio, recheado de experiências gastronómicas. 

Porquê o mercado?

Ter destacado o mercado de Campo de Ourique como a primeira escolha do a-cor-dar não foi coincidência. O conceito presente neste mercado encerra em si muitos dos princípios que me inspiram e que acredito que podem fazer a diferença no nosso país: a valorização das nossas raízes culturais reinventadas de uma forma inovadora e contemporânea. Talvez por isso se tenha tornado num local da moda em Lisboa desde o primeiro momento.

#2 - Xêpa

É uma marca de acessórios de moda criada pela estilista Sofia Cotrim, cuja produção é manufacturada e onde todas as peças são únicas. Num divertido jogo de cores, materiais, texturas e padrões, Sofia cria carteiras, malas, mochilas, porta-chaves e um sem-número de outros acessórios de moda para mulher.

Porquê Xêpa?

Porque era menina para levar uma ou duas peças Xêpa para casa.

#3 - Pó de Talco

É uma marca de roupa clássica para crianças dos 0 aos 12 anos. 

Porquê Pó de Talco? Porque é uma das minhas marcas preferidas no que toca a roupa de bebé e criança. Gosto particularmente da linha de praia que tem sempre conjuntos fato-de-banho/ calção de banho, ideais para quem, tal como eu, tem um menino e uma menina. Não é uma marca barata, mas vale pela qualidade das peças e acreditem que, mesmo nos saldos, conseguimos encontrar coisas bem giras!

#4 - Zua Pet Lovers

Lisboa também serve de inspiração no que toca a acessórios para animais de estimação. Prova disso é a Zua Pet Lovers, marca criada pela Xêpa dedicada aos nossos amigos de quatro patas. Na Zua podem encontrar coleiras, trelas e um sem-número de acessórios para tornar cães e donos ainda mais vaidosos!

Porquê Zua?

Pela alegria das cores e pela sua originalidade.

#5 - Girly Things

Trata-se de um projecto da autoria da Cristina Martins no qual, através de um processo criativo com base em frases feitas, são criadas peças únicas e pouco convencionais, desde quadros, espelhos, acrílicos ou agendas.  

Porquê Girly Things?

Porque gosto do estilo urban chic e descontraído da Cristina e da sua Girly Things.

#6 - Carpet Diem

É uma marca de tapetes criada por dois amigos, Carmo Mexia e Nuno Benito, que são também os responsáveis pelo desenho de todas as peças. O seu objectivo principal é apresentar um bom produto, com qualidade e apostando no design, a preço acessível. Para conhecer a colecção Carpet Diem ao vivo e a cores sugiro uma passagem pelo showroom na Rua do Salitre, mesmo no coração da cidade.

Porquê Carpet Diem?

Gosto da irreverência dos padrões e cores, misturada com a tradição presente na lã, material em que são produzidos todos os tapetes.

E, sim, é verdade que de acordo com o que tinha escrito aqui, esta última marca deveria ser estrangeira. Mas, porque a produção da Carpet Diem é feita na Índia, achei por bem partilhá-la.

About me

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Histórias Contadas no Bloglovin

Follow on Bloglovin

Histórias Contadas no facebook

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D