Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Histórias Contadas

Marta de Olhos em Bico - A História

Olá! Hoje é dia de Bloggers Story, o primeiro do ano de 2014.

Retomo esta rúbrica com a história da Marta Pimenta, uma professora de 26 anos que o ano passado resolveu concretizar dois dos seus desejos mais queridos: viver noutro país e descobrir a Ásia. Desde que partiu, partilha a sua história no blogue Marta de Olhos em Bico e encanta-nos com as suas aventuras por terras do Oriente.

Convido-vos a pegar numa chávena de chá (ou de café) bem quentinha, sentar-se confortavelmente e apreciar esta viagem pelo mundo de Marta de Olhos em Bico.

Marta de Olhos em Bico: Blog

MartaOEB01 by HContadas

Fala-nos um pouco de ti. Conta-nos a história da Marta que resolveu arriscar num desafio maior e partir para viver noutro país, noutro continente

Nasci em maio de 1987 numa pequena vila no norte do país apelidada de Lordelo, em Guimarães, rodeada de uma família maravilhosa. Tive uma infância repleta de amor, brincadeiras e aventuras vividas na rua com a minha irmã, os meus primos, os vizinhos e amigos. Brincar com a terra, às escondidas e à apanhada constituíam o meu quotidiano. Desde pequenina que gosto de descobrir, me aventurar, de sonhar...

Foram também os valores que os meus pais sempre me transmitiram, como o amor e a liberdade, que me permitiram voar... sempre me apoiando nos desafios que ia abraçando.

Um deles foi ir estudar "tão longe" (como se diz na minha terra), para Vila Real. Tempos maravilhosos numa terra de gente pura. Foi aí que as viagens começaram, com campismo acompanhado de salsichas, fins-de-semana molhados em cidades europeias, interRails de mochila às costas e um verdadeiro esfolar de sapatilhas a percorrer Nova Iorque.

Apesar de contar já com mais de 64 cidades descobertas, ainda há milhares por descobrir. Cada vez mais tenho o fascínio por conhecer outras culturas. Materializa-se quando escrevo na minha Lista de Desejos: quero descobrir a Ásia, quero viver noutro país...

Seguiu-se Lisboa, onde respirava o mar e me sentia em pleno. Professora a tempo inteiro, ia viajando nas férias. Sempre soube o que queria ser e sou tão apaixonada pelo que faço que, contribuir para o seu crescimento, todos os dias, com muito amor e de uma forma equilibrada e feliz, é, para mim, uma dádiva. Mas acredito que precisava de me aventurar, como quando era pequenina... Crescer, conhecer e conhecer-me, explorar, descobrir, viver! Absorver diferentes culturas, adquirir experiências internacionais a nível pessoal e profissional.

Por isso, eu e o meu companheiro de vida e de viagens, sentimos que este era o momento de voarmos, de finalmente riscar aquele item da Lista de Desejos que já lá estava há uns anos...

O que te motivou a criar um blogue e porquê o nome “Marta de olhos em bico”?

Foram muitas as motivações. Ficar mais perto das pessoas e as pessoas ficarem mais perto de mim. Criei este blogue, sobretudo, para poder compartilhar a minha jornada nesta nova etapa da minha vida. Acredito que, partilhando as minhas descobertas, aquilo que mais me apaixona, o que tenho aprendido, o que tenho vivido, poderei ajudar as pessoas a acreditar que é possível.

Outra motivação é esta cultura asiática tão fascinante e que merece ser partilhada. É uma inspiração todos os dias... Sem máscaras, só a lente da câmara, o bloco e uma caneta.

Na verdade, adoro escrever e sempre escrevi. Desde diários, histórias, poemas e até durante as viagens. Inicialmente sob a forma de diário de bordo. Depois fui acrescentando pequenos apontamentos culturais, novos contornos de escrita. Mas apenas no papel.

Paralelamente sempre li livros de viagens que para mim são uma inspiração. Sigo sites e blogues de viagens, acompanho histórias e inspiro-me com pessoas.

Agora, apesar de ainda não me sentir totalmente segura, principalmente nas fotografias, decidi, mais uma vez, arriscar. Posso dar a conhecer uma cultura tão diferente e que fascina tanto as pessoas. Porque não?!

O nome Marta de Olhos em Bico surgiu por isso mesmo: estar atenta ao que me rodeia, ficar com os olhos em bico ao descobrir os costumes diferentes, ao explorar uma nova esquina, ao falar com cada pessoa. Não ver só a superfície das coisas, mas colocar os olhos em bico para sentir e viver cada momento.

Não pretendia que este blogue fosse um guia ou um roteiro. Estes sites são muito importantes para os viajantes, entenda-se, e eu consulto-os com frequência. Mas eu gostava de acrescentar um pouco mais, de tocar no coração dos leitores e trazê-los para aqui, ficar mais perto das pessoas e as pessoas ficarem mais perto de mim.

Qual tem sido a receptividade das pessoas a este teu projecto?

Nunca pensei poder vir a alcançar tanta gente e de toda a parte do mundo. Mas mais do que a quantidade é a forma como tenho sido recebida com tanto carinho.

As pessoas têm enviado opiniões muito profundas: que tremem ao ler as minhas palavras, que cheiram aquela comida, que sentem que estão naquele local...

Sinto uma enorme alegria e são elas que me fazem continuar a partilhar as histórias da Marta de Olhos em Bico.

MartaOEB02 by HContadas
MartaOEB03 by HContadas

Quando lês um blogue, o que é que capta mais a tua atenção: os conteúdos, o grafismo, ou ambos?

Sempre fui uma pessoa das palavras. Gosto das palavras e ainda mais de escrever. Adoro uma boa conversa, mas a escrita é a forma que mais gosto de me expressar. Prefiro cartas e postais aos telefonemas. Por vezes as palavras saem da boca demasiado rápido e acredito que, ao escrever, elas passam primeiro pelo coração. Por isso, o conteúdo escrito é aquilo que mais me fascina.

Mas tenho-me apaixonado, cada vez mais, pela fotografia. Uma boa imagem é, sem dúvida, uma memória de algo que vivemos, que contem uma magia única. É a perpetuação daquele momento que pode despertar diferentes perspectivas e emoções. Quando vejo a combinação das duas, quando bem combinadas, deixo-me deliciar.

Que conselhos dás a pessoas que, tal como tu, queiram partir para conhecer novos mundos com culturas tão diferentes da nossa?

Ainda tenho muito que aprender antes de dar conselhos.

Mas posso contar como eu fiz. Há já alguns anos que tenho a minha preciosa Lista de Desejos, onde escrevo tudo aquilo que desejo. Com genuinidade.

Aconselho-vos a criar a vossa e chamem-lhe Lista de Desejos, Sonhos, Objetivos, Conquistas... O que preferirem.

Coloquem-na onde a possam ver todos os dias, de preferência ao acordar e antes de dormir. Uma forma de ver o que se quer, o que nos apaixona, o que queremos fazer, o que nos faz levantar da cama todos os dias.

E vão fazendo visto nos desejos vividos, vão alterando, retirando, acrescentando... O que fizer mais sentido para vocês e o que vos der mais prazer!

Façam daquele o vosso instrumento para a vida. E depois lutem por cada Desejo. Acreditem nos vossos sonhos e façam por isso, todos os dias, nem que seja um bocadinho. Lancem-se, aventurem-se, divirtam-se, arrisquem, vivam... Não prometo que seja fácil, não prometo que todos os dias tenham a mesma força e nem que todas as pessoas vos vão apoiar. Mas vai valer a pena... É tão bom conhecer novos mundos, crescemos tanto com outras culturas, outros povos. Faz bem à alma.

Quanto tempo pretendes ficar pela Ásia?

Estou agora a desfrutar o momento, sem pressas. Era esse o meu Desejo. E estou a aproveitá-lo ao máximo.

O que podemos esperar como próximos projectos da Marta Pimenta?

Estou a escrever um livro de poesia, para os mais pequeninos. Quero muito vê-lo publicado, ainda este ano.

O sonho de dar a volta ao mundo, numa viagem de 365 dias, mantém-se vivo. Acredito nesta odisseia com todas as minhas forças. Quero continuar os projetos fantásticos com a nossa Associação Vontade Singular que tanto me orgulha. 

Vou sempre ser uma professora/educadora cheia de orgulho. E mais uns quantos...

E para terminar gostava de te pedir para partilhar uma situação inesperada (divertida, caricata) que te tenha acontecido nestes últimos meses.

Estou indecisa que situação partilhar: a do acidente, a da polícia ou a da menina que me virou as costas porque não lhe dei o leite que ela queria...

Bem, acho que a da polícia é a mais divertida e caricata. Pelo menos agora, com umas semanas de distanciamento. Alugamos uma mota em Bali e fomos à descoberta da cidade. Ao contrário da Tailândia, aqui estávamos munidos de capacete e toda a papelada pertencente à viatura. Estávamos a conduzir há uma hora quando fomos mandados parar pela polícia. Os dois agentes queriam 10.000 baht (quase 250 euros) por não termos carta internacional. Confessamos que não sabíamos que era necessário, não tínhamos esse dinheiro, na loja onde alugamos a mota não nos exigiram essa carta. Eles pareciam decididos a não nos devolverem os passaportes até lhes pagarmos, em dinheiro. Comecei a perceber que era pura corrupção. Com as gargalhadas que trocavam e a indiferença às minhas palavras, o meu coração começou a bater muito forte. E enquanto dizia que isto não era justo, que a polícia tinha o dever de proteger as pessoas e que precisávamos dos passaportes para sair da Indonésia, as lágrimas caíam-me pelo rosto. Nesse momento um súbito gesto de compaixão passou pelos agentes que me deram umas palmadinhas nas costas e nos mandaram embora.

Acabou por ficar tudo bem, excepto o meu mundo que ficou um pouco menos cor-de-rosa. As outras histórias ficam para o blogue, lá vos espero...

MartaOEB04 by HContadas
MartaOEB05 by HContadas

Obrigada, Marta. Gostei muito de te ter por cá! Volta sempre com as tuas palavras e imagens super-inspiradoras :)

 

About me

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Histórias Contadas no Bloglovin

Follow on Bloglovin

Histórias Contadas no facebook

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D