Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias Contadas

Liebster Award

Liebster.png

Agora que já sabem o quão divertido é fazer yoga suspenso e andar de cabeça para baixo, feita morcego, chegou a altura de partilhar mais algumas coisas a meu respeito.

 

Passo a explicar: 

A Andando do blogue Camaleão Andante nomeou-me para o "Liebster Awards", um desafio que anda a percorrer a blogosfera e que consiste em escrever 11 factos sobre mim, responder às perguntas de quem me desafiou, indicar alguns blogs com menos de 200 seguidores e fazer 11 perguntas a quem eu desafiar [ah pois é!...]

 

Obrigada, Andando pelo desafio! 

Não foi fácil e acho, até, que me excedi nos caracteres. Ainda assim, aqui ficam as minhas respostas:

 

11 Factos sobre mim 

#1. Sou a Marta, tenho 40 anos, sou casada com o Nuno e sou mãe de duas crianças (o Gonçalo e a Mariana). Gostava de ter mais um filho, mas acho que já não tenho paciência para engravidar novamente... 

 

#2. Gosto de desafios e gosto de aprender coisas novas. Nos últimos tempos tenho andado interessada em alimentação saudável e liderança participativa.

 

#3. Adoro jantares a dois, num espaço bonito e com um bom vinho a acompanhar [desde que sou mãe, este é o tipo de programa que é cada vez mais raro...]

 

#4. Sou um ótimo garfo! Que me lembre só não gosto de sushi, chantilly e, por opção, deixei de beber leite há alguns anos. 

 

#5. Não sei mentir. Quem me conhece percebe sempre que o faço. Felizmente, nisso os meus filhos saem a mim!

 

#6. As pessoas excêntricas divertem-me. Mas não gosto de pessoas que dizem mentiras. Quem mente por pouco, mente por muito.

 

#7. O yoga e o mindfulness fazem parte da minha rotina e estou a aprender a libertar-me de juízos de valor [tarefa difícil, esta!].

 

#8. Adoro viajar! Acho que era uma pessoa feliz se ganhasse a vida a escrever sobre viagens.

 

#9. Gosto muito de decoração. Gosto de reabilitar peças antigas e misturá-las com outras novas [pensando bem, também me sentiria muito realizada nesta área!]

 

#10. Sou apaixonada por Portugal e acredito muito nas pessoas e no saber fazer português.

 

#11. Ganho a vida como consultora na área de saneamento. Costumo dizer aos meus filhos que trabalho com caca. Alguém tem que fazer o trabalho sujo!

 

 

Perguntas

Que tipo de restaurantes preferes?

Gosto de conhecer espaços novos, de preferência onde se coma bem e que tenham bom ambiente. 

 

Diz uma coisa que ainda não tenhas feito e gostasses de fazer brevemente

Viajar a Itália ou à Holanda. 

 

Que tipo de turista és?

Sou curiosa. Gosto de ir à descoberta, de mapa na mão e sem grandes planos. Gosto de experimentar vivências autênticas e ir aos sítios frequentados pelas gentes locais.

 

Que objecto levas sempre na mala?

A máquina fotográfica.

 

O que é para ti o sábado ideal?

Um sábado em que não tenha que pôr o despertador. Lá em casa, as atividades dos filhotes começam às 9 da manhã...

 

Qual a tua bebida preferida?

De dia água. Ao jantar vinho.

 

O que te faz ler e seguir blogs?

Depende muito do momento... gosto de blogs de viagens, lifestyle, decoração, diy, receitas, moda... mas, o que me cativa mais nos blogs é um design clean, imagens giras, e, acima de tudo, textos escritos num estilo descomplicado e genuíno.

 

Qual a tua opinião sobre o mundo dos blogs?

É um mundo que me diverte. 

 

Qual o teu animal preferido?

Tenho dois: O gato e o cavalo.

 

Qual a rede social que mais acompanhas?

Instagram. Delicio-me a ver as imagens.

 

Se tivesses um super-poder qual seria?

Ser uma super-mãe, sempre disponível, bem disposta e tolerante. 

 

 

[e agora...] As minhas perguntas

 

1. Porque decidiste criar um blogue?

2. Porque escolheste este nome para o teu blogue?

3. Onde encontras inspiração para escrever posts?

4. Qual o post que te deu mais gosto escrever? 

5. Que tipo de blogues gostas mais?

6. Qual a tua viagem de sonho?

7. Qual o teu escritor preferido?

8. Qual o teu hobby preferido?

9. O que é que te deixa com um sorriso nos lábios?

10. O que te põe mal disposta?

11. [E agora, em jeito de Daniel Oliveira] O que dizem os teus olhos?

 

 

Por último, deixo-vos as minhas nomeadas:

 

Boa sorte, meninas!

Yoga suspenso - a atividade mais louca do momento

HC_YogaSusp.jpg

Esqueçam tudo o que sabem ou pensam saber sobre Yoga. Hoje vou falar-vos de uma experiência completamente diferente. Chama-se Yoga Suspenso e é de longe a aula de grupo mais louca e desafiante que já pratiquei!

 

Mas, o que é o Yoga suspenso?

É uma aula de Yoga onde treinamos a alguns centímetros do chão, com a ajuda de um pano. Esse pano está suspenso no teto e serve de apoio nas posições típicas de Yoga, sejam posições de flexibilidade ou de força.

 

Na segunda-feira fui experimentar e, à medida que a aula avançava e que o instrutor nos lançava novos desafios, só pensava: "Não vou conseguir. Isto é louco demais, não vou conseguir!".

Mas... consegui! Uma, outra e outra posição, até ao desafio final de ficar de cabeça para baixo, como esta imagem testemunha (juro que sou a penúltima nesta fila de mulheres-morcego). 

 

Sei dizer-vos que foi uma experiência espectacular. Senti um misto de diversão com superação pessoal. Muito bom! E, se dúvidas houvesse sobre a forma como trabalha o corpo, posso dizer-vos que passei os dias seguintes a conversar com músculos que desconhecia, principalmente, abdominais.

 

Muito louco! 

 

Imagem: Jaya Yoga Shala

DIY - Como renovar mesas de apoio

HC_Mesas01.jpg

Um dos desafios de remodelar o apartamento foi encaixar num orçamento limitado todas as mudanças que queria fazer. Por isso, tive que usar de alguma criatividade e aproveitar ao máximo os recursos que tinha.

 

Tinha guardado na arrecadação um conjunto de 3 mesas de apoio que, por não se enquadrarem na decoração lá de casa, tinha posto de lado, e que acabei por usar como mesas de cabeceira no segundo quarto. Originalmente as mesas tinham dois tons: madeira escura (tampo) e amarelo mostarda (pés), cores que não se adaptavam à decoração que pretendia para o quarto. Daí que tenha decidido pintá-las.

 

Admito que sou fã de transformar móveis antigos, pintando-os com cores mais atuais e, sempre que se justifique, substituindo o estofo. E nada como pôr mãos à obra! Para tal, tive a preciosa ajuda da Mouse, a nova lixadora da BLACK+DECKER. É mais leve do que uma lixadora tradicional e muito intuiva (de tal forma que nem tive que ler o manual). Desconfio que foi desenhada a pensar em nós, mulheres... Eu fiquei fã!

 

Material:

2 mesas
Mouse da BLACK+DECKER com folha de lixa de malha - grão 120
(em alternativa poderão usar lixa para madeira - grão 100)
Tinta 
Pincel
Sonasol verde

 

HC_mesa02.jpg

 

Mãos à obra:

#1 - Limpar cuidadosamente a gordura das mesas, com recurso a um esfregão embebido em Sonasol Verde.

#2 - Lixar bem toda a superfície das mesas, para que fique uniforme. Estas mesas tinham uma camada brutal de tinta nos pés e, confesso que se não fosse a ajuda da Mouse, teria desesperado...

#3 - Limpar bem a madeira para retirar todo o pó que ficou na mesa, em resultado de ter sido lixada.

HC_mesa03.jpg

#4 - Pintar. Dar uma primeira de mão, tendo cuidado para não deixar escorrer gotas de tinta. Passar com o pincel numa direção e depois espalhar a tinta a 90º.

#5 - Deixar secar (recomendo que deixem secar, pelo menos, 1 a 2 dias dependendo do tempo).

#6 - Dar a segunda de mão, usando a mesma técnica. Uma vez mais, deverão ter cuidado para não se acumularem gotas de tinta. Se, por acaso, tiver escorrido alguma gota e esteja seca, lixem de forma a uniformizar a superfície e voltem a pintar essa zona. 

 

Agora é só secar. Desta vez, recomendo que esperem cerca de 1 semana, antes de colocar objetos sobre a mesa.

Boas pinturas!

HC_mesas05.jpg

Que vos parece, gostam?

Uma espécie de Querido Mudei a Casa

Enquanto estive afastada das lides online, andei entretida com alguns projetos offline...

 

Um deles foi a remodelação de um apartamento no Algarve, que me deu imenso gozo. 

O apartamento estava muito cheio e tinha uma decoração, a meu ver, pesada e antiquada. A ideia foi dar-lhe um toque mais fresco, tornando-o numa casa de férias, funcional e confortável. 

Por uma questão de orçamento, procurei aproveitar ao máximo o mobiliário existente. No entanto, optei por fazer duas mudanças que me pareceram essenciais: colocar um sofá-cama na sala, de cor neutra e linhas direitas, e mudar um dos quartos, a pensar nas famílias que, tal como nós, têm filhos e procuram um segundo quarto com camas individuais. 

 

Deixo-vos com um resumo do antes e depois. Se quiserem ver mais imagens, ou até (quem sabe!) ir lá passar uns dias, poderão espreitar o Airbnb aqui

 

Antes:

HC_Antes01.jpg

HC_Antes02.jpg

HC_Antes03.jpg

HC_Antes04.jpg

HC_Antes05.jpg

 

Depois:

Sala

HC_Depois03.jpg

HC_Depois01.jpg

HC_Depois02.jpg

HC_Depois04.jpg

Quarto

HC_Depois06.jpg

HC_Depois05.jpg

HC_Depois07.jpg

Segundo Quarto

HC_Depois11.jpg

HC_Depois09.jpg

HC_Depois10.jpg

Hall

HC_Depois13.jpg

Pormenores

HC_Depois14.jpg

Varanda e jardins

HC_Depois15.jpg

HC_Depois12.jpg

 

Que vos parece, gostam?

O regresso

Um destes dias, quando passava os olhos pelo FB, este post ressoou em mim e foi uma espécie de impulso para voltar a escrever aqui no blogue.

E cá estou eu, passados vários meses, a abrir a porta deste espaço e partilhar convosco pedaços da minha vida.

 

De facto, “o que se escreve num diário quando não podemos contar aquilo que de mais importante acontece na nossa vida?”

Eu escolhi fechar-me ao mundo online, refugiando-me no colo de quem estava mais perto, entre família e amigos. Retomo agora com a tranquilidade que só o tempo conseguiu gerar no meu coração. Serei parca em pormenores por respeito a mim e a nós. Ainda assim, escolho partilhar algumas aprendizagens, desejando que as mesmas possam servir a todos aqueles que se cruzem com esta realidade.

 

Em 2015 vi-me confrontada com o desafio de tomar nas mãos a tarefa de ensinar um filho a ler… [Isto, depois da escola ter assumido a sua incapacidade de resolver o assunto.]

 

Não foi um trabalho meu, entenda-se. Foi um trabalho colaborativo, sob a orientação de uma profissional de mão cheia que nos ensinou metodologias e deu ferramentas para ultrapassarmos esta dificuldade.

 

O que aprendi:

  • Existem vários métodos para ensinar a ler. O mais comum é o método fonológico, aquele em que aprendemos as letras do abecedário e as vamos juntando, primeiro em sílabas e depois em palavras. Existe um outro, que nos últimos anos ganhou popularidade em muitas escolas, que é conhecido pelo método global. Neste o processo é (mais ou menos) o contrário. Começa-se das frases para as palavras e, só depois, das palavras para as sílabas. Daquilo que consegui pesquisar (na qualidade de leiga no assunto, entenda-se), o método global, sendo um método muito eficaz no que toca à velocidade de aprendizagem, é limitado porque não se adapta a todas as pessoas. Entre 10 a 15% das pessoas não aprendem por este método. Talvez isso devesse justificar que as escolas que optam por este método tivessem soluções alternativas para estas crianças, o que nem sempre acontece.
  • Há muito desconhecimento e preconceitos associados a situações de aprendizagem não padronizadas, dentro e fora de sala de aula.
  • O deficit de atenção está na moda e serve de justificação para (quase) tudo.
  • Nem todos os cérebros humanos processam a informação da mesma maneira, mas têm uma característica espantosa chamada plasticidade, que não é mais do que uma enorme capacidade de adaptação. É preciso entender que cada ser humano tem o seu tempo, o seu ritmo e que, com a dose certa de apoio e motivação, consegue chegar lá.

 

Acima de tudo, aprendi a confiar. A confiar em quem sabe. A confiar nos meus instintos de mãe. A confiar nesta criança que, com apenas 6 anos, mostrou ser uma enorme guerreira e uma tremenda fonte de coragem e inspiração.

 

Agora que a tormenta passou e as águas voltaram a estar calmas, sinto-me feliz por estar de volta. Sejam bem-vindos também!

About me

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Histórias Contadas no Bloglovin

Follow on Bloglovin

Histórias Contadas no facebook

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D